Home » Nutrição » Alimentação da Primeira Infância

Alimentação da Primeira Infância

As práticas adequadas para a alimentação infantil devem fornecer quantidades de alimento necessário para suprir os requerimentos nutricionais fundamentais para o desenvolvimento biológico; proteger as vias aérea da criança contra aspiração de substâncias estranhas durante a pratica alimentar; e não exceder a capacidade funcional do trato gastrintestinal e do sistema renal da criança.

Compreende-se que a prática alimentar saudável inicia-se com o aleitamento materno e a introdução, em tempo oportuno, de alimentos apropriados, que complementam o aleitamento.

Importância do Aleitamento?

O aleitamento materno é de fundamental importância para o recém nascido, transcende da infância até a vida adulta, evitando doenças passiveis de prevenção na infância.

O leite humano é um composto formado por três subsistemas ou frações, são eles:

  • Fração solução: constituinte hidrossolúvel como vitaminas, carboidratos, proteínas, enzimas e hormônios (soro do leite);
  • Fração suspensão: micelas de caseínas;
  • Fração emulsão: glóbulos de gordura.

O aleitamento materno é a primeira prática alimentar para promoção da saúde, estimulando assim a formação de hábitos alimentares saudáveis e prevenção de muitas doenças. Os constituintes do leite fornecem todos os nutrientes necessários para o lactente.

Dentre os nutrientes constituintes do leite materno destacamos:

  • Caseína: favorece a absorção do cálcio biodisponivel no leite;
  • Alfa-lactoalbumina: auxilia no transporte do ferro;
  • Glutamina: esta relacionada ao crescimento intestinal;
  • Taurina: transporta o zinco e atua como neurotransmissor excitatório cerebral;
  • Gorduras e ácidos graxos: são veículos para as vitamina lipossolúveis e principais fontes de energia para as necessidades diárias;
  • Imunoglobulina, lactoferrina, lisozima, interferon, fator bifidus, fator anticólera, fator antidengue e as lactoperoxidase: são protetores para a criança – também apresentam papel protetor os ácidos graxos de cadeia curta (bactericida) e os ésteres (antiestafolocócico);
  • Ácidos graxos insaturados: fundamentais ao sistema nervoso.

O leite materno possui também macrófagos e linfócitos como fator de proteção, que são passados ao lactante através da mama.

Já com relação aos carboidratos do leite materno, a lactose participa da absorção do cálcio e constitui substrato para a microbiota intestinal produzir acido láctico, reduzindo o PH do intestino e o crescimento microbiano.

Os oligossacarídeos nitrogenados são fatores de crescimento da flora bífida.

São inúmeras as vantagens do aleitamento materno, e não podemos esquecer que a primeira é, em muitos casos, garantir a sobrevivência da criança. Quanto mais à criança mamar mais protegida ela estará.

Crianças que não são amamentadas no primeiro ano de vida apresentam possibilidades maiores de morrerem de diarreia e problemas respiratórios do que as crianças que mamam até o primeiro ano de vida.

O leite materno diminui os problemas ocasionados por infecção gastrointestinal, respiratória, dentre outras doenças. Outra vantagem do aleitamento materno é o baixo custo e a promoção do vinculo afetivo entre a mãe e a criança.

Aleitamento materno exclusivo?

É de fundamental importância até os primeiros seis meses de vida, por ser um alimento completo, fornecendo inclusive água. Além da proteção contra doenças infecciosas comum na infância, e necessário ao desenvolvimento físico e psicológico da criança.

A complementação do leite materno com água e chás nos seis primeiros meses de vida é desnecessária, a criança já nasce suficientemente hidratada para não necessitar de líquidos. A alimentação artificial desnecessária pode lesionar a mucosa do trato gastrointestinal, por infecção ou reação alérgica, diminui o volume total de leite ingerido, além de a mamadeira ser prejudicial, uma vez que pode ser uma fonte de contaminação. Recém nascido que faz uso de mamadeira pode apresentar dificuldades em sugar o peito, as formas de sucção são distintas entre peito e mamadeira afetando o psicológico da criança. Outro fator relevante na alimentação artificial (líquidos não nutritivos) é a diluição errada de leite, fórmulas muito concentradas ou mal diluídas são prejudiciais a saúde do recém nascido.

Duração do aleitamento exclusivo?

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o aleitamento exclusivo deve ser feito até os seis primeiros meses de vida. O sistema digestivo e o sistema renal do recém nascido são imaturos, o que limita a digestão de outros componentes que não seja o leite humano. Devido a Alta permeabilidade do tubo digestivo, o recém nascido corre o risco de apresentar hipersensibilidade a proteínas estranhas à espécie humana. O sistema renal imaturo não tem a capacidade de concentrar a urina para eliminar altas concentrações de soluto proveniente de outros alimentos.

Após os seis meses a criança esta no estágio de maturidade fisiológica, com desenvolvimento no sistema gastrointestinal, que a torna capaz de lidar com os alimentos diferentes do leite materno.

Desmame?

O desmame é a transição da amamentação para os alimentos semissólidos e depois sólidos, devendo ser feito de forma gradativa após os seis meses, pois o aparelho digestivo já esta pronto para receber outros alimentos.

Um cuidado especial desse-se ter com a introdução de alimentos antes dos seis meses, pois podem propiciar desvantagens nutricional à dieta láctea, tais como intolerância alimentar, tendência a ingestão excessiva podendo levar a criança ao sobrepeso ou obesidade.

Cuidado com o mel, antes de um ano de idade não é recomendado, o sabor do mel é mais doce do que o leite, isso pode levar a criança a rejeitar o leite materno e preferir o mel, observe também as condições de higiene em o mel é produzido, condições precárias podem levar a uma contaminação e por em risco a saúde da criança.

O desmame quando bem sucedido, permite a criança aceitar diferentes sabores, amadurecer suas preferencias e formar hábitos alimentares saudáveis em uma variedades de alimentos.

Inicie o desmame pelos suco e papinhas de frutas, nunca adicionar açúcar, habitue a criança com os sabores naturais da fruta.

O ideal é oferecer o suco no intervalo das mamadas e as papinha à tarde, respeitando o tamanho da porção estipulado pela criança. Não insistir quando ela rejeitar, isso indica que ela já esta satisfeita.

Após duas semanas de introdução das frutas, comece a introduzir as papas salgadas, de preferência nos horários do almoço e jantar, continuando as mamadas habituais. Substituir as papas pelas mamadas somente quando a criança estiver habituada aos novos alimentos.

Não é indicado oferecer sobremesas de produtos industrializados ou açucarados, somente as papinhas de frutas, esse hábito tendencioso de muitos pais pode favorecer o desenvolvimento da cárie dental. Não esqueca de fazer a higiene bucal da criança após as papinhas seguindo orientação dos profissionais da saúde.

Sugestões para o desmame?

  • As frutas devem ser as mais variadas possíveis (respeitando a aceitação da criança, o orçamento familiar e a produção regional);
  • Incluir sucos de frutas cítricas ricos em vitamina C (favorece a proteção da criança);
  • Iniciar a papa salgada com legumes, tubérculos e raízes (abóbora, batata, batatinha salsa, beterraba, abobrinha e cenoura);
  • Após cinco dias acrescente a carne (picada ou desfiada) e gema de ovo para reposição de ferro biodisponível prevenindo a anemia férrica;
  • A papa salgada pode conter até de três a quatro alimentos diferentes combinados (batata, cenoura, abobrinha, etc.);
  • Cuidado com a mistura de muitos sabores, pois poderá confundir a criança, e a mãe terá dificuldade em observar quando a criança rejeitar algum alimento;
  • Alimentos novos devem ser introduzidos um a um gradativamente e em quantidades pequenas, pois fica mais fácil identificar uma possível intolerância, alergia ou aceitação da criança;
  • O sal não deve está presente nas primeiras e quando passar a utilizar colocar pitadas pequenas, utilizar quantidades pequenas de óleo e temperos suaves. Cuidado com o uso do sal, ele é apenas um realçador de sabor, o uso inadequado pode levar a criança a ter hipertensão;
  • Cereais, raízes e massa para sopa devem ser bem cozidos e oferecidos em maior quantidade para dar saciedade e oferecer às quantidades de calorias necessárias a criança;
  • Amasse os alimentos com um garfo ou passe em uma peneira grosso, não é recomendado triturar no liquidificador, para que desde cedo seja estimulado a mastigação.

Exemplo de plano alimentar para o primeiro ano de vida

exemplo de plano alimentar para o primeiro ano de vida

Leia Também


Sobre: Maria Clara

Consultora em Alimentação e Nutrição - Graduada pela universidade Federal do Ceará - UFC. Bacharela em Saúde - Universidade federal da Bahia - UFBA

Gostou deste artigo??? Então torne-se fã do MC Nutrir no Facebook!!!



Deixe seu comenário